Como Ganhar Dinheiro Como Desenvolvedor Web

Depois de tantos anos na área de TI, a minha opinião é que a maneira mais fácil e mais segura de ganhar dinheiro nessa profissão é trabalhando em empresas privadas ou no serviço público.

No entanto, muita gente com espírito empreendedor pode não concordar.

Além disso, nem todas as regiões do Brasil têm um mercado de trabalho com muitas oportunidades.

Portanto, a segunda melhor opção é apostar em um detalhe que muita gente deixa de lado…

Para ganhar dinheiro como desenvolvedor Web, você deve explorar algum diferencial pessoal que você tenha. Algo que afaste o seu trabalho da competição com as empresas, que têm recursos, produzem para um público em massa e ganham com a economia de escala.

Se você escolher lutar contra as empresas de software no campo de batalha delas, ou seja, nos mercados onde elas atuam, você não tem como ganhar dinheiro.

Então, para equilibrar as chances, traga a disputa para o seu próprio território.

O seu diferencial pode ser fazer parte de um determinado grupo, ter um familiar que conhece bem uma área específica, ou até a sua localização geográfica.

Sem dúvida, ele é a sua melhor aposta para ganhar dinheiro como desenvolvedor Web, fugindo das dicas batidas que enchem as páginas da Internet, mas que não produzem resultado algum.

Nesse post eu explico em detalhes essa estratégia.

Mas antes de entender o que fazer para ganhar dinheiro como desenvolvedor Web, aprenda a identificar ideias que não vão levar a nada e só vão te fazer perder tempo.

Por que Muitas Ideias para Ganhar Dinheiro São Inúteis Hoje em Dia?

Quando a Internet começou a se popularizar no Brasil, em meados dos anos 1990, conseguir fazer um site simples, só com HTML, era visto como um diferencial.

Tanto é que algumas pessoas se gabam de terem sido os “empreendedores pioneiros da Internet”.

Isso porque fizeram a “homepage” de alguma empresa, com um logo, umas tabelas e aquelas letras que ficavam piscando numa cor super saturada.

É claro que isso não funciona mais…

Em pouco tempo as empresas tomaram conta do mercado de desenvolvimento de sites e acabaram com essas “low hanging fruits”, como são chamadas as oportunidades mais fáceis de aproveitar na área de negócios.

Hoje em dia, ter um site com aspecto profissional, em uma plataforma como Wix ou Godaddy, custa menos que um lanche por mês.

E para isso não é preciso nem ter criatividade, já que tudo é feito a partir de centenas de templates criados por designers profissionais.

Isso facilita a vida dos clientes, mas aumenta a barreira de entrada para outros empreendedores.

Esse é só um exemplo, mas o mesmo raciocínio se aplica a várias outras ideias para ganhar dinheiro que você encontra na Internet.

!

Eu não estou dizendo que as recomendações de outros sites são ruins ou que querem te induzir a erro de forma intencional.

O meu objetivo é só mostrar como elas deixam de lado aspectos importantes da análise de viabilidade do negócio.

Para explicar por que isso acontece, eu agrupei as recomendações mais comuns encontradas na Internet, considerando os 3 principais pontos que elas ignoram:

A Capacidade do Programador para Entregar o Produto

Muitos programadores imaginam o trabalho de freelancer como uma maneira de substituir o emprego formal.

Isso tende a acontecer mais com os iniciantes, já que a falta de experiência acaba tornando impossível se candidatar para a maioria das vagas de trabalho.

O que esses programadores não se dão conta é de que trabalhar por conta própria é muito mais difícil do que trabalhar em uma empresa de desenvolvimento de software.

Para ficar mais fácil de entender essa lógica, veja a busca por um emprego por outro ângulo:

Na primeira etapa de um processo seletivo, o candidato é entrevistado por um profissional de RH, que avalia as competências comportamentais.

Depois disso, ele é avaliado nos critérios técnicos por um programador sênior.

Nessa hora, é importante lembrar que programar é usar uma linguagem para resolver um problema de negócio.

Portanto, o programador precisa dominar as linguagens usadas pela empresa.

Além disso, ele pode até conhecer uma dúzia de linguagens de programação, mas se não tem experiência no domínio do negócio, talvez ele não consiga resolver os problemas que a empresa tem.

Depois de todas as etapas do processo, imagine que o candidato do exemplo não foi selecionado.

Tudo bem…

Afinal, pode ter aparecido um candidato mais experiente ou mais qualificado para a vaga, não é?

Então, a solução é continuar tentando.

No entanto, depois de enviar mais 200 currículos e de fazer mais 20 entrevistas em empresas do mesmo porte, o candidato ainda não conseguiu um emprego.

Assim, se você imaginar esses processos seletivos como se fossem uma consultoria especializada em avaliação de carreira, a conclusão é que é provável que esse programador não esteja preparado para atuar no mercado de desenvolvimento Web.

Ao mesmo tempo em que você imagina essa situação, mas mudando só um pouco o ponto de vista, pense em como as empresas funcionam:

  • Uma equipe de produto idealiza novas soluções e testa protótipos com possíveis clientes.
  • Uma equipe de vendas encontra clientes reais para os produtos.
  • Uma equipe cuida dos aspectos financeiros e legais.
  • Uma equipe de programadores desenvolve o produto.

Isso sem falar nas equipes que fazem os testes, o suporte ao cliente e gerenciam a infraestrutura.

Agora junte os dois pontos de vista…

O candidato do exemplo fez mais de 20 entrevistas para trabalhar em uma equipe de programadores, onde ele teria a atribuição de fazer uma pequena parte técnica do desenvolvimento do produto.

Então, já que todas as empresas avaliaram que ele não tinha condições de assumir essa posição, ele acha que vai se sair melhor se fizer sozinho todo o desenvolvimento do produto, além de todo o resto que a empresa faz?

Não me leve a mal, mas essa conclusão não tem lógica!

Se um programador não está preparado para trabalhar em uma empresa de desenvolvimento, é claro que ele não vai conseguir se vender como um especialista.

Por isso, quando eu vejo sugestões como “Seja Freelancer”, “Preste Consultoria”, “Pegue seus Próprios Projetos”, ou “Desenvolva Sistemas Especializados”, eu não vejo como isso pode ajudar a ganhar dinheiro.

Nesses mercados, o programador precisa ter um histórico profissional de muitas entregas.

Portanto, o primeiro passo para identificar se uma ideia para ganhar dinheiro com desenvolvimento Web é boa, é avaliar se você tem o conhecimento técnico ou de negócio suficiente para conseguir entregar um produto complexo e de alta qualidade.

A Distribuição do Produto

Para que um produto gere alguma renda, é preciso que as pessoas estejam dispostas a pagar por ele.

Mas antes, ele precisa ser encontrado.

Com os milhões de sites existentes na Internet hoje, como você vai gerar tráfego suficiente para ganhar dinheiro com seu próprio site?

Não adianta pagar por anúncios nos mecanismos de busca e esperar que as pessoas cliquem nesses anúncios, acessem o seu site e depois compartilhem o seu conteúdo com todos os amigos.

O motivo pelo qual as consultorias de SEO são tão caras, é que a maneira mais barata de conseguir tráfego é aparecer em primeiro lugar nos mecanismos de busca, como Google e Bing.

No entanto, para conseguir isso, você precisa produzir uma quantidade enorme de conteúdo de qualidade.

E se você fizer isso, pode usar esse portfólio de conteúdo para se destacar em um processo seletivo e conseguir um bom emprego.

O mesmo raciocínio vale para os sites de freelancing.

Nesses sites, milhares de programadores têm uma reputação alta e diversos trabalhos entregues, o que torna muito difícil ganhar algum dinheiro quando você está começando.

E se você pretende trabalhar de graça e criar um portfólio grande só para ser freelancer, adivinhe só…

É mais fácil usar esse portfólio para conseguir um bom emprego!

Mas não acaba aí…

Outro dia eu li um artigo de 2018, onde a sugestão para ganhar dinheiro com desenvolvimento Web era o programador “desenvolver sua própria rede social”.

Além de todos os problemas de entrega que eu já falei na seção anterior, eu fico imaginando como um programador Web, procurando uma fonte de renda imediata, investiria milhões de dólares e esperaria anos para ter retorno de um empreendimento como esse.

Isso sem considerar que nem a rede social da Google, com um investimento de mais de meio bilhão de dólares em 2011, conseguiu superar as empresas que dominam esse mercado.

Não me chame de pessimista, mas a chance de isso dar certo é zero.

Convencer as pessoas a usarem um produto não é simples.

Para você ter uma ideia, pare para pensar em todos os apps que você usa durante o dia:

  • Navegador
  • E-mail
  • Redes Sociais
  • Compras

Mais algum? É provável que não.

Talvez você não precise de mais do que uma dúzia de apps no seu telefone.

E mesmo assim, esses poucos apps são de empresas que gastaram muito dinheiro com propaganda e levaram muito tempo para terem uma adoção em massa.

Veja o exemplo da Movile, que captou quase 1 bilhão de dólares para investir no iFood.

Então, conselhos como “Crie um app e fique milionário”, “Lance um blog e venda anúncios”, ou “Ganhe Dinheiro nos Sites de Freelancing” também não fazem sentido, já que a audiência não depende só do esforço que o programador Web faz para desenvolver o produto.

Assim, o segundo passo para identificar se uma ideia para ganhar dinheiro com desenvolvimento Web é boa, é avaliar se você já tem um cliente em potencial ou se você tem uma maneira barata de alcançar uma audiência para o seu produto digital.

A Concorrência com Produtos Similares no Mercado

Imagine que você conseguiu vencer a primeira dificuldade e finalizou o desenvolvimento de um software.

Por exemplo, você seguiu uma dica que encontrou na Internet e desenvolveu um tema para WordPress.

Além disso, você também achou um canal de distribuição com grande volume de acessos, como um marketplace.

Com isso, você vai conseguir ganhar algum dinheiro, certo?

Não é tão simples assim…

Só no site do WordPress, há mais de 7.800 temas para download gratuito.

Já no ThemeForest, um dos maiores marketplaces de templates Web do mundo, há mais de 49.500 temas à venda.

Isso diminui muito as suas chances de conseguir ganhar algum dinheiro nessa área.

A mesma coisa acontece com outros produtos digitais, como plugins, apps, sistemas, lojas virtuais e cursos online.

Por exemplo, os grandes marketplaces, como Amazon e Magazine Luiza, oferecem às empresas pequenas uma loja online, sem que elas precisem se preocupar com desenvolvimento, infraestrutura, meios de pagamento e publicidade.

Além disso, esses marketplaces funcionam como intermediadores e garantem as transações financeiras, reduzindo o risco de o cliente comprar um produto e receber uma pedra pelo correio três meses depois, como já aconteceu com algumas lojas online independentes.

Isso significa que se você tentar competir com essas grandes empresas, montando uma loja virtual ou vendendo uma solução de e-commerce que você desenvolveu, suas chances são muito pequenas.

E se você focar em atender empresas médias ou grandes, que demandam soluções customizadas, isso também não vai funcionar, já que esse mercado de produtos digitais muito complexos e de valor muito alto também é ocupado por empresas de desenvolvimento especializadas.

Ou seja, copiar a mesma coisa que todo mundo já está fazendo não é uma boa ideia.

Portanto, o terceiro passo para identificar se uma ideia para ganhar dinheiro com desenvolvimento Web é boa, é avaliar se o seu produto digital tem algum diferencial que elimine toda a concorrência.

A Solução? Faça Algo Diferente!

Agora que você conheceu três passos fundamentais para avaliar uma oportunidade de ganhar dinheiro como programador Web, é provável que tenha riscado da sua lista a maioria das ideias que encontrou por aí.

Não se preocupe, isso vai te ajudar, fazendo com que você invista seu tempo no que tem mais chance de dar certo.

A essa altura, eu imagino que uma coisa já tenha ficado clara para você:

A melhor maneira de ganhar dinheiro como programador Web é arranjando um emprego em uma empresa de desenvolvimento de software.

Mas, se você tiver espírito empreendedor e quiser se aventurar nesse universo por conta própria, procure observar os riscos da seção anterior e seguir as dicas abaixo para conseguir melhores resultados.

!

Talvez você encontre um mercado saturado para os exemplos que eu vou mostrar a seguir.

Por isso, não foque só nos exemplos.

Procure se concentrar na maneira de pensar que há por trás dessas sugestões e você vai conseguir descobrir a sua própria oportunidade.

Como eu disse lá no início, para ganhar dinheiro como desenvolvedor Web, você deve usar a seu favor algum diferencial que você tenha.

Os especialistas em Marketing chamam esse elemento que diferencia o seu produto ou serviço dos concorrentes de Unique Selling Proposition.

E que diferencial é esse?

Bem, você pode usar a sua localização geográfica como vantagem, explorando a cultura do lugar onde você mora, por exemplo.

Imagine que você mora em um bairro, ou até em uma cidade pequena, onde as lojas recebem pedidos por telefone ou por WhatsApp e os clientes marcam um horário para buscar suas compras.

Isso é diferente do modelo de logística dos grandes marketplaces da Internet.

Além disso, talvez esses pequenos negócios não contem com pessoas familiarizadas com tecnologia, capazes de lidar com uma loja virtual complexa.

Nesse caso, você teria a oportunidade de criar um aglomerado de lojas virtuais só da região, que já receberiam os pedidos e os pagamentos direto pela Internet, deixando combinado o agendamento da entrega.

Como recurso adicional, você pode oferecer o serviço de manutenção dos dados de cada loja, cobrando por um pacote de horas.

E se você criar um site responsivo simples, não precisa nem se preocupar em desenvolver um app.

Para ficar mais fácil ainda, você pode integrar uma tela simples de gestão de pedidos ao WhatsApp da loja, para que o cliente possa continuar fazendo seus pedidos por mensagem, sem alterar sua rotina.

Esse tipo de ideia funciona porque as grandes empresas de software costumam focar em atender muitos clientes, com produtos de baixo custo, sem personalização e com suporte remoto.

Assim, as particularidades regionais não têm tanto peso nas soluções das grandes empresas.

Por isso, se você resolver usar a sua localização geográfica como diferencial, sempre tenha em mente que o seu produto deve ser pensado para as características da região que você atende.

A sua solução deve ser simples e 100% focada nas necessidades e na cultura dos seus clientes.

Isso significa que qualquer tentativa de se equiparar às grandes empresas vai te colocar de volta no cenário de competição, onde você não tem chance de vencer.

Outra maneira de conseguir clientes para sistemas Web é se você tiver um parente ou amigo próximo que tenha um negócio próprio ou que domine uma área de negócio a fundo e possa te explicar todos os detalhes, além de usar e promover o seu produto.

Eu conheci um programador que era parente do dono de uma fábrica de material para artesanato.

O dono da fábrica gerenciava tudo em planilhas Excel, o que acabou se tornando um caos depois de alguns anos.

Assim, o parente programador se ofereceu para fazer um sistema simples para controlar estoque.

O sistema foi evoluindo com o tempo, incluindo a gestão da produção e de contas.

É claro que o dono da fábrica poderia ter comprado um sistema de gestão existente no mercado, mas nenhum sistema pronto teria esses dois diferenciais:

  • Ter um programador próximo do cliente para entender todos os requisitos.
  • Ser desenvolvido para as necessidades específicas daquele tipo de negócio.

Nesse caso, quanto mais específico for o negócio, melhor.

Por exemplo, há centenas de sistemas para escritórios de advocacia, mas eu não conhecia um sistema específico para fábricas de material de artesanato.

Uma situação semelhante pode acontecer se você tiver contato próximo com vários profissionais da mesma área.

Por exemplo, imagine que você conheça muitos síndicos de prédios ou muitos contadores da sua cidade.

Nesse caso, você pode descobrir quais são os pontos fracos dos sistemas que eles usam e se oferecer para criar um sistema melhor, que atenda todos os requisitos de negócio de maneira satisfatória.

É claro que isso vai depender bastante da sua capacidade de vender o seu produto.

Além disso, essa estratégia é mais difícil de funcionar se você ainda estiver no início da carreira de desenvolvedor Web, já que para superar um produto existente, é preciso desenvolver um produto melhor.

Portanto, identifique o seu diferencial competitivo único e use essa vantagem para conseguir ganhar dinheiro.

Para aprender como fazer isso, continue lendo e descubra o que você deve fazer para ter o máximo de eficiência nos seus trabalhos e não cair nas armadilhas mais comuns.

Teste sua Capacidade de Entregar Produtos de Software

Antes de sair por aí convencendo seus clientes em potencial e aceitando adiantamentos pelo seu trabalho, avalie se você vai dar conta do recado.

Para se tornar um programador Web eficiente, não basta saber só uma linguagem de programação.

Você também precisa conhecer HTML, CSS, JavaScript, API ReST, bancos de dados, e frameworks para o frontend e o backend.

E como saber se você é bom o suficiente nisso tudo?

Lembra que eu falei sobre a dificuldade de ganhar dinheiro em sites de freelancing, por causa da concorrência?

Pois é, mas isso não significa que esses sites não servem para nada.

Faça seu cadastro e ofereça os seus serviços por um preço muito abaixo da média, para conseguir alguns trabalhos.

Essas são algumas das opções de sites de freelancing:

Depois que tiver concluído três ou quatro entregas com sucesso, você já conseguirá avaliar se tem experiência suficiente para buscar seus próprios clientes.

Nesse ponto, você também já terá criado uma base de código mínima que será comum a todos os seus projetos, incluindo:

  • Templates de interface de usuário
  • Autenticação
  • Autorização e gerenciamento de permissões
  • Integração com redes sociais
  • Interfaces para gestão de tabelas do backend (CRUD: Create, Read, Update, Delete)
  • Agendamento de tarefas
  • Envio de e-mails

E por falar em entrega, se o seu negócio é programação, procure ficar longe de ideias que envolvem logística.

Esse é o conselho que eu dou a todas as pessoas que me procuram perguntando se é uma boa ideia desenvolver um app de entregas, no estilo do iFood ou do Rappi.

Para ter sucesso nesse mercado, você depende das pessoas que fazem as entregas.

E quando você insere a gestão de pessoas no seu empreendimento, você deixa de ser um programador independente e passa a ser um empresário com uma estrutura complexa para manter.

Portanto, conheça a sua capacidade de entregar o que vende e tenha certeza de que você domina a tecnologia antes de oferecer seus serviços.

Mas para que esse domínio da tecnologia não te faça passar a vida inteira se especializando em todas as novidades do mercado, é fundamental observar o próximo ponto:

Tenha Foco em um Conjunto Restrito de Tecnologias

Para que você consiga evoluir a qualidade dos seus trabalhos de forma consistente e ganhar dinheiro com isso, é preciso ser eficiente na gestão do seu tempo.

Para isso, você deve restringir as tecnologias que vai usar para desenvolver seus produtos digitais.

O que isso significa?

É simples.

Pense no seguinte exemplo:

  • Você entrega um projeto usando WordPress.
  • Depois, pega um trabalho para criar uma API em Python com Flask.
  • Mais tarde, aceita um pedido para desenvolver um sistema usando o stack MERN.

Seguindo um roteiro como esse, o tempo que você vai gastar para aprender e dominar todas essas tecnologias vai ser enorme.

De maneira contrária, quanto mais projetos semelhantes você desenvolver, mais vai diluir o custo de aprender e se manter atualizado em um conjunto de tecnologias.

Portanto, não seja o tipo de profissional que diz: “Eu aprendo qualquer linguagem de programação e o trabalho que vier eu faço!”.

Embora isso possa ser verdade, essa não é a maneira mais eficiente de trabalhar.

E para reduzir ainda mais esse investimento em tempo de aprendizado e desenvolvimento de soluções, aplique a próxima dica:

Use o Máximo de Software Pronto que Puder

Outro dia, um amigo veio me perguntar qual seria a melhor linguagem de programação para um site novo que ele queria desenvolver.

Na hora eu respondi: WordPress!

Ele não entendeu…

“Espera aí. WordPress não é linguagem de programação. É um sistema de gerenciamento de conteúdo.”

Certo, é isso mesmo.

No entanto, o ponto principal aqui é que o WordPress já está pronto.

Para muitos programadores, é comum olhar para um problema e já começar a pensar quais ferramentas eles devem usar e em que linguagem vão programar.

Mas se o seu objetivo é ganhar dinheiro trabalhando sozinho, a conta é muito simples:

Você precisa entregar o máximo possível, no mínimo de tempo.

E desenvolver um site usando HTML, CSS, JavaScript, Bootstrap, React.js, Node.js e MongoDB pode até ser mais divertido, mas nunca vai ser mais rápido do que instalar e configurar o WordPress.

Portanto, quando precisar resolver um problema, pense primeiro em como fazer isso com algum software que já esteja pronto.

O próximo ponto vai te ajudar bastante com essa estratégia.

Priorize o Desenvolvimento de Sites em vez de Sistemas

Em vez de se oferecer para desenvolver sistemas de informação com muitos requisitos e regras de negócio, comece criando sites.

Para isso, use componentes comuns, como sistemas de gerenciamento de conteúdo e plugins prontos.

Hoje em dia é possível montar lojas virtuais sofisticadas, integrando meios de pagamento e APIs de terceiros, sem precisar programar.

Além de economizar tempo, essa dica também vai te ajudar muito com o custo de deploy do seu produto.

Isso porque muitas empresas de hospedagem oferecem planos baratos que já disponibilizam os softwares mais comuns para criação de sites, como WordPress.

Por outro lado, se você construir um sistema mais complexo, usando containers para diferentes serviços e linguagens de programação como Java e C#, os requisitos de infraestrutura para o seu sistema vão fazer o custo do projeto disparar.

Portanto, não tenha medo de seguir pelo caminho mais fácil e usar todos os softwares prontos que puder, ainda mais quando você estiver começando.

E para encontrar mais oportunidades de aplicar essa estratégia, use a próxima sugestão.

Participe dos Canais de Distribuição em um Nicho

Essa talvez seja a dica mais útil de todas.

Uma maneira de encontrar um canal de distribuição para o seu produto é fazer parte de grupos com interesses específicos.

Por exemplo, se você gosta de RPG, participe de todos os fóruns, eventos e grupos de WhatsApp ligados a esse tema.

Dessa forma, além de conhecer as pessoas, você vai descobrir as oportunidades que existem em cada nicho.

Essa estratégia também ajuda a resolver o problema da distribuição.

Já pensou se algum influenciador muito conhecido naquele nicho fizer um vídeo no YouTube falando sobre o seu site e o vídeo tiver milhares de visualizações?

Isso funciona para qualquer assunto, como hobbies, animais de estimação, esportes, estudos ou religião.

Se você for atuante nesses grupos, pode até pedir ajuda aos outros participantes para desenvolver produtos digitais personalizados para eles, seguindo a estratégia da Startup Enxuta.

Aliás, esse livro é leitura obrigatória para qualquer pessoa que queira montar um negócio ou trabalhar por conta própria.

No entanto, se você seguir por esse caminho e fizer um site para um nicho específico, tome cuidado para não parecer um spammer, enviando links em todos os grupos a todo momento.

Cuidado também para não aplicar essa estratégia para vários nichos diferentes ao mesmo tempo e acabar perdendo o foco.

Portanto, participar de grupos de pessoas interessadas em um nicho aumenta as suas chances de encontrar uma oportunidade e um canal de distribuição para o seu produto digital.

Além disso, essa estratégia vai abrir as portas para uma oportunidade melhor ainda, que eu detalho na próxima seção.

Faça uma Parceria com um Empreendedor

A essa altura você já entendeu como estabelecer o seu diferencial competitivo e como procurar mercados onde você pode atuar.

No entanto, apesar de fazerem sentido, é possível que todas essas dicas pareçam muito difíceis de colocar em prática para você.

Isso porque, se o seu objetivo é ganhar dinheiro como desenvolvedor Web, talvez não esteja nos seus planos visitar clientes, elaborar contratos ou gerenciar grupos focais de usuários beta.

Por sorte, há uma saída simples…

Se você seguir a dica anterior e participar dos canais de distribuição de um nicho, vai acabar conhecendo pessoas que têm ideias para criar produtos para aquele público, mas que não têm conhecimento técnico suficiente para isso.

Foi assim que Steve Jobs criou a Apple e revolucionou o mercado de computadores com o Apple II.

Na época, ele mesmo não conseguiria construir um computador, então fez uma parceria com o Steve Wozniak, que criou o produto.

Da mesma forma, o seu parceiro de negócio pode ser responsável por vender o produto, enquanto você cuida da parte técnica.

Mesmo assim, ainda cabe a você avaliar se a ideia é viável.

Para isso, todas as recomendações desse post continuam valendo:

  • Não assuma um compromisso com produtos que você ainda não é capaz de entregar.
  • Não crie um produto para depois correr atrás do mercado para ele.
  • Não entre em mercados super saturados só porque você consegue criar um produto similar e tem um canal de distribuição.

Portanto, encontrar uma ou mais pessoas dispostas a participar do desenvolvimento de um produto digital pode ser uma solução para quem precisa dividir as tarefas.

No entanto, saiba que isso é mais complexo e tem mais riscos do que um simples trabalho de programador Web freelancer.

Assim, se você fizer uma parceria e o seu produto começar a decolar, contrate um advogado para te aconselhar. Não para a empresa. Para você.

Agora que você já sabe como descobrir oportunidades e explorar o seu diferencial competitivo, você pode aplicar todas as dicas desse post ou nenhuma delas, mas a única coisa que eu sugiro que você não ignore é a recomendação da próxima seção.

Sempre Assine um Contrato

!

Eu não sou advogado e esse não é um conselho legal, apenas uma observação baseada na minha própria experiência.

Por isso, eu não sou responsável pelos resultados ou possíveis prejuízos que uma pessoa obtenha aplicando qualquer ideia retirada desse site.

Sempre que precisar de aconselhamento legal, consulte um advogado.

Sempre que você fizer uma parceria ou se comprometer a entregar o produto do seu trabalho, assine um contrato com todas as pessoas envolvidas.

Isso pode parecer complicado para você, ou até mesmo antipático, mas é um sinal de profissionalismo e uma maneira de poupar tempo com possíveis mal entendidos.

Por exemplo, se você fizer um site para uma loja de bicicletas e não tiver um contrato, o que impede o dono da loja de te ligar 8 vezes por dia durante 2 anos, inclusive no domingo à noite, para alinhar um div em uma posição diferente ou mudar a cor de um botão?

Na prática, depois de um tempo você diria que as alterações não seriam mais possíveis sem pagamento e isso geraria um bate-boca interminável, onde nenhum dos dois teria razão.

O seu contrato pode ser tão simples quanto uma troca de e-mails com mais uma pessoa em cópia ou tão formal quanto um documento elaborado por um advogado.

Seja lá qual for o formato, é fundamental que o contrato descreva todo o trabalho que será entregue, o tempo que será gasto, todas as condições de pagamento e que tenha a concordância explícita de todas as partes.

Se o seu trabalho inclui a manutenção do produto depois da entrega, deixe claro, pelo menos:

  • O número de horas que está incluído durante a vigência do contrato.
  • O custo por hora adicional, fora do que foi contratado.
  • Os horários que você pode ser acionado para resolver problemas.
  • Os meios para fazer isso (telefone, e-mail, WhatsApp).
  • O tempo que você tem para responder e dar uma solução.

Dessa forma você evita ficar preso por muito tempo a uma entrega sem receber por isso.

E se você fizer uma parceria com um empreendedor, estabeleça em contrato a divisão do trabalho e dos resultados, além do principal: as condições para desfazer a parceria.

É triste ter que admitir isso, mas o trabalho do programador é visto por algumas pessoas como “uma coisa que qualquer um faz”.

Nesses casos, o programador é visto como mão de obra operária e não como um empreendedor que tem visão de negócio e conhecimento técnico.

Assinando um contrato você reduz o risco de o seu sócio querer te ejetar da empresa e trocar os seus 50% de participação por um salário de R$3.000,00 para um programador terceirizado, quando o produto estiver pronto.

Pode acreditar, isso acontece.

Portanto, em vez de discutir as condições do seu trabalho depois da entrega, faça isso no início e deixe tudo por escrito, em benefício da sua saúde mental.

Conclusão

Quando se trata de ganhar dinheiro, é claro que nada é garantido.

Tudo depende de identificar a oportunidade certa, trabalhar duro e criar um produto excepcional, fazendo o esforço necessário e nada mais.

Mas se você usar essas dicas e descobrir o seu diferencial competitivo, vai aumentar as suas chances de conseguir clientes que paguem pelo seu trabalho como desenvolvedor Web.

Além de ganhar dinheiro, você vai conseguir montar um portfólio que vai atrair novos clientes, num ciclo contínuo de expansão do seu próprio negócio de desenvolvimento.

Qual é a sua maior dificuldade para encontrar esse tipo de trabalho? Você tem alguma outra sugestão de como ganhar dinheiro com desenvolvimento Web? Então escreva nos comentários!

Guilherme Brügger D Amato - Audiência Pública na Comissão Senado do Futuro

Guilherme Brügger D’Amato é servidor concursado de TI na Câmara dos Deputados, onde ocupou o cargo de Diretor de Informática entre 2015 e 2016. Com mais de 25 anos de experiência como programador e executivo de TI, já desenvolveu sites e sistemas usados por dezenas de milhões de pessoas. Conecte-se com ele no LinkedIn.

Deixe um comentário