Fazer um Curso Técnico em Informática Vale a Pena em 2020?

Não. Fazer um curso técnico em Informática não vale a pena, a não ser que você queira passar o resto da vida fazendo manutenção de hardware e concorrendo com pessoas com pouca qualificação, por salários cada vez menores.

É claro que há exceções, dependendo dos objetivos de cada pessoa…

Então continue lendo e entenda por que eu acredito que você não deve perder o seu tempo fazendo um curso técnico de informática, a não ser em algumas situações muito específicas.

Por que a Minha Opinião Importa para Você?

Antes de mais nada, se você ficou curioso com a minha resposta para a pergunta desse post, pode estar pensando por que deve acreditar em mim…

Afinal, o que me qualifica para te convencer de que o curso técnico em informática não vale a pena?

É simples…

Além de trabalhar na área de TI há mais de 25 anos, eu cometi o erro de fazer um curso técnico.

Na época, eu não tive uma orientação adequada e acabei caindo na armadilha do senso comum, que diz que “é muito bom sim”.

No meu caso foi pior ainda, porque eu fiz um curso técnico em uma área que não tem a ver com TI.

Com isso, antes de conseguir entrar na faculdade, eu acabei perdendo mais dois anos para aprender as disciplinas que eu não estudei direito no ensino médio.

Portanto, a minha opinião é baseada na minha própria experiência.

Não cometa o mesmo erro que eu.

Para que Servem os Cursos Técnicos no Brasil?

O objetivo dos cursos técnicos é formar profissionais qualificados para atuarem de imediato no mercado de trabalho.

Para ilustrar melhor essa explicação e a utilidade dos cursos técnicos, vou contar uma história que aconteceu comigo em 2002, quando eu resolvi construir uma casa.

Um dia, durante a construção, eu fui pedir ao mestre de obras para aumentar o diâmetro da tubulação que leva a água da rua até a caixa d’água.

A vantagem disso seria aumentar a vazão, fazendo com que a caixa levasse menos tempo para encher.

Na mesma hora, ele me respondeu:

– “Não pode. A água sobe no cano fino e desce no cano grosso!

Eu achei engraçado e comecei a explicar a ele que isso acontece porque a pressão da água é igual à força sobre a área.

Então, eu peguei um pedaço de tijolo e escrevi no chão a fórmula P = F / A.

Nesse caso, a força seria a mesma, já que dá para considerar que a água da distribuidora vem sempre da mesma altura.

E se a força é constante, quanto maior a área, menor o resultado da divisão, ou seja, menor é a pressão.

No entanto, o aumento do diâmetro do tubo seria mínimo e a pressão ainda seria suficiente para fazer a água subir até a caixa.

Ele olhou para mim, coçou a cabeça e falou, sem cerimônia:

– “Eu não entendi nada que você disse. Só sei que a água sobe no cano fino e desce no cano grosso!

Essa história mostra por que os profissionais que metem a mão na massa precisam fazer um curso técnico.

Afinal, é importante formar mão de obra especializada, com base teórica, para que os jovens não aprendam “na marra” indo direto para a prática em uma obra ou na indústria.

No entanto, isso funciona bem em áreas como mecânica, metalurgia ou construção civil.

Nessas áreas, o foco é aprender a usar materiais e máquinas pesadas que não estão disponíveis para qualquer um.

Por exemplo, para aprender a programar, você pode comprar um computador barato ou ir a uma biblioteca e passar o dia inteiro estudando de graça na Internet.

Mas você não vai comprar uma betoneira na loja da esquina para aprender a misturar concreto, nem comprar um elevador hidráulico, daqueles de posto de gasolina, para aprender a trocar o óleo do carro.

Além disso, essas são áreas onde os riscos à segurança do trabalhador são enormes e existem normas que precisam ser seguidas para evitar acidentes.

Todos esses pontos são cobertos em um curso técnico.

Então, se o curso técnico é importante na formação profissional…

Por que Você Não Deve Fazer um Curso Técnico em Informática?

Para responder essa pergunta sem deixar dúvida, eu vou te dar vários motivos que eu gostaria que alguém tivesse me explicado 30 anos atrás…

E para facilitar, vou dividir a resposta em tópicos diferentes.

O Trabalho do Técnico em Informática é Operacional

No Brasil não existe a cultura consumista de jogar um computador com defeito no lixo e comprar outro.

Em vez disso, o comum é mandar consertar e usar o equipamento pelo maior tempo possível.

Por causa disso, a principal função do técnico em informática é fazer manutenção de hardware.

Isso porque, como em outros cursos técnicos, o objetivo é formar pessoas qualificadas para tarefas operacionais.

Ainda que em alguns desses cursos o foco seja na área de desenvolvimento de software, o problema ainda persiste.

Se você leu o meu post sobre as dificuldades da programação, entendeu que programar não é uma tarefa braçal, como montar uma laje ou trocar uma correia de motor.

Então, fazer um curso que forma operários não vai ser algo visto como diferencial pela maioria das empresas que contratam programadores.

Nessas empresas, ou a faculdade é um requisito obrigatório, ou eles não querem nem saber se você aprendeu a programar em um bootcamp, no YouTube, ou nos fundos da igreja.

Seguindo essa lógica, fica claro que o curso técnico não faz diferença alguma na carreira de programador.

O Curso Técnico Só Vai te Fazer Perder Tempo

Para entender essa afirmação, é preciso saber como são estruturados os cursos técnicos no Brasil.

Em geral, há duas modalidades:

  • O curso técnico integrado ao ensino médio.
  • O curso técnico feito após a conclusão do ensino médio, como um curso profissionalizante.

Se o curso for integrado ao ensino médio, muitas disciplinas importantes do currículo comum são deixadas de lado para que o currículo técnico possa caber no prazo do curso.

Em geral, essas são as disciplinas ligadas às ciências sociais e da natureza, como História, Geografia, Química e Biologia.

Dessa maneira, se você concluir o curso técnico e quiser fazer o curso superior em outra área, como Medicina ou Direito, não vai ter a formação básica necessária para conseguir a vaga em uma faculdade.

Ainda assim, o curso pode ser mais longo que o ensino médio regular, chegando a durar até 4 anos.

Para piorar, a concorrência é enorme para entrar em um curso técnico em uma escola federal.

No CEFET do Rio de Janeiro, por exemplo, o curso técnico em informática só oferece 64 vagas por ano.

Na verdade, eu até me questiono se a manutenção de um curso como esse é economicamente viável, já que é preciso manter uma infraestrutura completa com salas de aulas, laboratórios, equipamentos e professores, para formar tão pouca gente por ano, no nível mais básico da profissão.

Mas se você leu o meu post sobre o ensino de algoritmos nas universidades brasileiras, já percebeu que o processo de tomada de decisão no ensino público nem sempre é eficaz, para dizer o mínimo.

Por outro lado, se você cursar todo o ensino médio antes de partir para o curso técnico, por que não fazer logo uma faculdade?

Ou seja, ou você não vai seguir a carreira de programador e o curso técnico vai te atrapalhar, ou você vai seguir a carreira e o curso técnico não vai ter servido para nada!

Há uma terceira opção:

Talvez você tenha certeza de que nunca mais vai querer fazer outra coisa da vida, a não ser trabalhar na área de TI, e acredite que o curso técnico vai facilitar a sua vida na faculdade.

No entanto, quem é que consegue fazer uma previsão dessas com exatidão, para a vida toda, aos 14 anos?

Eu digo que isso é quase impossível…

Se você fizer um curso técnico e depois isso te ajudar muito a concluir uma faculdade de TI, ótimo!

No entanto, como disse Steve Jobs, “você não pode ligar os pontos olhando para a frente; você só pode ligá-los olhando para trás”.

Portanto, por que restringir suas opções de carreira tão cedo, se você ainda tem muito tempo para decidir o que quer fazer da vida?

Você Vai Ter um Resultado Melhor Fazendo uma Faculdade

Pesquisando as opiniões sobre esse assunto em fóruns na Internet, eu percebi que algumas pessoas acham besteira fazer uma faculdade na área de TI.

O objetivo desse post não é discutir se vale a pena fazer uma faculdade para ser programador, então vou explicar a minha visão de maneira bem resumida.

Na faculdade, os conceitos tendem a ser apresentados de forma mais aprofundada, por conta do caráter científico e de pesquisa dessas instituições.

O objetivo do curso superior é formar pessoas que entendam o que estão fazendo e que possam produzir conhecimento.

Isso é bem diferente da visão de formação de mão de obra operacional que se encontra no curso técnico.

Por causa disso, as empresas tendem a valorizar a formação superior como requisito para as vagas de emprego.

Além disso, a faculdade abre a possibilidade de fazer especializações com foco prático ou de seguir a carreira acadêmica.

O tempo a mais que você leva para concluir a faculdade também não é mais um problema na hora de partir para o mercado de trabalho.

Com a reforma da previdência de 2019, a idade mínima para aposentadoria subiu para 62 anos para mulheres e 65 anos para homens.

Por isso, se você fizer um curso técnico pensando em começar a trabalhar cedo, por volta dos 15 anos, na hora de se aposentar terá trabalhado cerca de 50 anos, o que é um tempo de contribuição muito maior do que suficiente pela regra atual.

Assim, adiar a sua entrada no mercado por 3 ou 4 anos não faz diferença.

Conclusão

Em vez de fazer um curso técnico de informática, curse o ensino médio regular e use o seu tempo para aprender a programar usando os vários recursos online disponíveis hoje em dia.

Mas, apesar de eu recomendar que você não faça um curso técnico de informática, é claro que eu não posso fechar os olhos para a realidade brasileira.

Para muitos jovens que precisam trabalhar desde cedo, só estudar até os 20 anos de idade ou mais não é uma escolha.

Então, se você precisa trabalhar e o curso técnico é a sua única opção, se esforce para fazer disso uma experiência positiva para a sua carreira.

Se não tiver outro jeito, pelo menos escolha um curso técnico com foco em programação, que te dê a oportunidade de entrar no mercado de trabalho por meio de um estágio.

Evite o caminho fácil de trabalhar fazendo manutenção de hardware.

Ele pode ser tentador para os jovens que querem ganhos imediatos, mas esses ganhos não crescem com o passar do tempo.

Ou seja, procure colocar no seu currículo uma experiência que as empresas valorizam.

Ser técnico não é demérito algum, mas se você puder escolher, faça o melhor pela sua carreira e pela sua vida.

Você se convenceu de que não vale a pena fazer um curso técnico de informática? Dê a sua opinião nos comentários e ajude outras pessoas a tomarem essa decisão.

Guilherme Brügger D Amato - Audiência Pública na Comissão Senado do Futuro

Guilherme Brügger D’Amato é servidor concursado de TI na Câmara dos Deputados, onde ocupou o cargo de Diretor de Informática entre 2015 e 2016. Com mais de 25 anos de experiência como programador e executivo de TI, já desenvolveu sites e sistemas usados por dezenas de milhões de pessoas. Conecte-se com ele no LinkedIn.

Deixe um comentário